Princípios básicos do treinamento resistido e prescrição de exercícios

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Princípios básicos do treinamento resistido e prescrição de exercícios by Mind Map: Princípios básicos do treinamento resistido e prescrição de exercícios

1. Sobrecarga progressiva que e a pratica de aumentar continuamente o estresse imposto sobre o corpo a medida que capacidades de forcas, potencia ou resistência aumentam, consequência do treinamento.

2. Ações musculares voluntarias máximas: significa que o músculo produz o máximo de forca possível de acordo com o seu nível de fadiga.

2.1. Para se obter ganhos de resultados devemos levar em consideração as variáveis dos exercícios como:

2.1.1. Volume de treinamento: e uma medida da quantidade total de trabalho realizado em uma sessão, em uma semana, um mês ou algum outro período de treinamento.

2.1.2. Período de descanso: os períodos de descanso entre as series de um exercícios, entre os exercícios e entre as sessões de treinamento permitem a recuperação, sendo importantes para o sucesso de qualquer programa.

3. Definições das acoes musculares e seus princípios.

3.1. Treinamento resistido: também conhecido como treinamento de força ou com pesos.

3.1.1. Esses termos são utilizados para descrever um tipo de exercício que exige que a musculatura corporal se movimente contra uma forca oposta, geralmente exercida por algum tipo equipamento.

3.2. Utilizamos três tipos de acoes musculares, que são: ação muscular concêntrica, ação muscular excêntrica e ação muscular isométrica.

3.2.1. Podemos descrever que durante uma ação muscular concêntrica, o músculo se encurta. Durante uma ação muscular excêntrica, o músculo alonga de maneira controlada. Durante uma ação muscular isométrica, nenhum movimento articular ocorre e não ha encurtamento nem alongamento total do músculo.

3.2.2. Dentro dos métodos encontramos algumas variáveis que temos que levar em conta para um melhor resultado procurado.

3.2.3. Repetição: E um movimento completo de um exercício. Ela normalmente consiste em duas fases: a ação muscular concêntrica, ou o levantamento de carga, e a ação muscular excêntrica, ou abaixamento de carga.

3.2.4. Serie: e um grupo de repetições realizadas continuamente, sem interrupção ou descanso, normalmente uma serie pode ter de a 15 repetições.

3.2.5. Repetições máxima, ou RM, e o numero de repetições poe serie que podem ser realizadas consecutivamente, com a técnica correta de levantamento e utilizando uma carga.

3.2.6. Zona de treino por repetição; e um intervalo que costuma ter três repetições(como 3-5, 8-10). Ao fazer as repetições numa zona de treino por repetição, a carga usada pode permitir que a pessoa realiza a quantidade desejada de repetições com relativa facilidade, ou pode resultar em falha voluntaria momentânea. Se a carga usada resultar em falha, o nome dado a zona de treino por repeticao e zona de treino de RM.

3.2.7. Potencia; e a taxa de realização de trabalho

3.2.8. Forca máxima: e a quantidade máxima de de forca que um músculo ou grupo muscular pode gerar em um padrão especifico de movimento a uma velocidade especifica.

3.3. Outros aspectos importantes no treinamento resistido e a Periodização e a Sobrecarga Progressiva.

3.3.1. Periodização que e a variação planejada no volume e na intensidade do treinamento para ganhos ideais contínuos em forca, bem como para outros resultados do treinamento.

4. No treinamento resitido existem especificidade que sao conceitos muito importante para qual se treina.

4.1. Especificidade da velocidade: e o conceito de que o treinamento resistido produz seus maiores ganhos de forca e potencia na velocidade na qual ele e realizado.

4.2. Especificidade da ação muscular: onde se trabalha as acoes concêntrica, excêntrica e isométrica, para ganhos de forca, em parte, específicos ao tipo de ação muscular utilizada no treinamento. Especificidade do teste são os aumentos na forca são superiores quando testados durante exercícios ou acoes musculares realizadas durante o treinamento e inferiores quando o teste e executado usando-se um exercício ou uma ação o muscular envolvendo os mesmos grupos musculares, mas não durante o treinamento.

4.3. Especificidade do Grupo muscular: significa que cada grupo muscular que requeira que ganhos de forca ou outras adaptações ao programa de treinamento deve ser especificamente treinado.

4.4. Especificidade da fonte de energia: se refere ao conceito de que o treinamento físico pode provocar adaptações dos sistemas metabólicos predominantemente utilizadas para suprir a energia necessária aos músculo que realizam determinada atividade física.

5. E não podemos deixar de ressaltar aqui os aspectos de segurança no treinamento resistido.

5.1. Auxilio: refere-se as atividades por parte de indivíduos que não estão treinando e que ajudam a garantir a segurança de quem se encontra em pleno treinamento.

5.2. Respiração: não e recomendado fazer manobra de Valsalva durante exercícios no treinamento resistido porque aumenta a pressão arterial substancialmente.

5.3. Técnica adequada: e parcialmente determinada pela anatomia e pelos grupos musculares específicos que estão sendo treinados e e necessário para prevenir leses.

5.4. Calcados para o treinamento: um calcado adequado e seguro no treinamento resistido, alem de trazer segurança ajuda no equilíbrio e na compressão produzida pelos muculos da perna para levantar o peso.

5.5. Amplitude total de movimento: e a realização de um um execício com a maior amplitude de movimento possível para que obtenha maior ganho de forca e potencia.

5.6. luvas e cintos para o treinamento: as luvas para o treinamento cobrem somente as áreas das palmas da mão, protege contra a pegada ou arranhões em alcas de peso livre ou de equipamento de forca, alem de evitar bolhas e rompimento do calos das mãos. Os cintos são ideais para evitar lesões na lombar, eles fornecem resistência contra os músculos abdominais, isso ajuda a aumentar a pressão intra-abdominal, que suporta as vértebras lombares.

5.7. Manutenção de equipamento: Manter os equipamentos em condição de uso apropriado e de fundamental importância para um programa seguro de treinamento resistido, para evitar lesões e transtorno com os alunos.

6. Conclusão: Podemos concluir que a compreensão da terminologia são importante em qualquer área de estudo, definições claras da termologia do treinamento de forca são necessárias parar a comunicação precisa e a troca de ideias entre os entusiastas da aptidão física e os profissionais do condicionamento da forca. Segurança adequadas, como o auxilio durante as series e a técnica de execução correta dos exercícios, são necessárias em todos os programas de treinamento resistido elaborados e implementados adequadamente.